Sábado |

Setor Social

Pautadas pelas diretrizes norteadoras de nossa Fundadora – Madre Francisca Lampel – “Ser Instrumento simples no meio do povo”, à luz do Evangelho de (Mt 19,13) "Deixai vir a mim as crianças, porque delas é o Reino dos Céus" , (Mt 18,6)aí daquele que escandalizar desses pequeninos, MT 5,1-12 as Bem Aventuranças  e mais recentemente ouvindo os apelos do Papa Francisco que convoca a Igreja a sair dos claustros  e ir para as ruas, becos e guetos, nós irmãs do setor social ao irmos para as periferias, favelas e cortiços e por dentro da ciranda da vida todos e todas que se encontram a margem, excluídos e sufocados por um sistema opressor e marginal que favorece o "ter" em detrimento do "ser"; as irmãs que trabalham na área sócio assistencial, procuram  favorecer ações junto às famílias de baixa renda em situação de vulnerabilidade social, com crianças e adolescentes em situação de risco,  acolhendo-as no serviço de “Convivência e Fortalecimento de Vínculos” -  crianças e adolescentes, do sexo feminino, na faixa etária de seis a dezesseis anos e excepcionalmente até aos dezoito anos nas cidades de: Araxá – Minas Gerais, Ribeirão Preto e Araraquara – São Paulo.

As irmãs buscam trabalhar de forma integrada dentro deste setor dando o melhor de si com a presença e interesse em atualizar o conhecimento e adequar a prática. Para isso realizamos encontros de formação. 

Sabemos que cada criança e adolescente em seu processo de desenvolvimento são sujeitos de direitos, portadores de potencialidades, precisam de oportunidades para a conquista da cidadania plena;

Nosso trabalho visa possibilitar o fortalecimento dos vínculos familiares à família, tendo-as como seres de direitos e com potencialidades para garantir a proteção e cuidados dos filhos saindo  do sistema de subalternidade e  conquistando a autonomia.

assim facultamos ações protagônicas, abrindo possibilidades as adolescentes de fazer escolhas, que garantam o desenvolvimento saudável, o norte de vida resguardando valores pautados pela dignidade e respeito.
Visando atingir os objetivos propostos, nosso plano de ação conta com um conjunto de atividades denominadas de oficinas, e são elas:

1. Oficinas Socioassistenciais: Utilizando atividades de caráter: lúdico, artístico e cultural, trabalhando qualidade de vida, geração saudável, valores, mudança de paradigma, cuidados com a higiene, auto- cuidado, alimentação saudável, organização do tempo e do espaço de convivência na Instituição e no domicilio e interação social e grupal. Com as adolescentes, buscamos desenvolver projetos de autoconhecimento, sobre temas transversais: o jovem e as drogas, a gravidez na adolescência, desafio ou mito, as redes sociais, relacionamento familiar, o jovem e o primeiro emprego, os desafios do adolescer entre outros. 

2. Oficina  Psicossocial: O programa conta com a área de psicologia, através de profissionais. As usuárias que demonstraram necessidade e tiveram aderência recebem o atendimento individualizado ou em grupo, objetivando oferecer oportunidades para elaborarem a história de vida, superar os cortes e sequelas emocionais e afetivas e se emanciparem emocionalmente para dar respostas positivas a um contexto de vida de sofrimento, abuso e mau trato. 
3. Oficinas de Artes  Manuais: Trabalhamos com aproximadamente vinte e cinco modalidades de oficinas, além de ensinar as técnicas e aprendizado de cada modalidade, cujos trabalhos são confeccionados e vendidos em bazares.  Utilizamos da mesma para favorecer, acolhida troca de experiência, partilha dos sentimentos, expressão de indagações, dúvidas medos , angustias e situação de riscos. 

4. Oficinas de Expressão Corporal Canto e Dança: O programa oferece sete modalidades de dança, objetivando despertá-las para a utilização do corpo enquanto  expressão de arte e do belo, facultando direitos que pela condição de vida estariam excluídos. No final de cada ano as oficinas são apresentadas em forma de espetáculo, com figurino adequado e grande publico para apreciá-las. Além das danças trabalhamos ainda  capoeira, Karatê, Judô e vôlei, bem como encenações, dramatizações, Arte Cênica, com figurino e apresentação própria para cada peça e publico significativo para apreciar , e valorizar as pequenas artistas. Coral com cantos  natalinos, apresentado no final de cada ano para familiares, voluntários e simpatizantes.
5. Oficinas de Desenvolvimento sustentável: JARDINAGEM e confecção de peças com material reciclável – visando o aprendizado e a prática ecológica. As usuárias realizam pesquisas e jograis aliados ao cultivo e cuidado de algumas plantas do jardim interno do Lar.

6. Oficina de Inclusão digital: Visando o aprendizado dos conteúdos básicos de informática, bem como pesquisa, navegação  e criação de projetos com apresentação e PowerPoint. 

 7. A família - possibilidade de mudança: É preciso não esquecer das famílias que são acolhidas em grupos com atividade mensal ou bimestral e trabalhadas, com conteúdos voltados para o bom trato e acolhida dos filhos, objetivando provocar a mudança de paradigma, a substituição de práticas agressivas, pelo diálogo, orientação e limite com afeto.

Outros envolvimentos das famílias: atividades especificas, como arte cênica, festas, eventos e comemorações as mães ajudam como voluntárias na maquiagem, serviço de copa, ensaios e organização de cenário.

No final de cada ano por ocasião de avaliações, podemos ouvir relatos que indicam as mudanças almejadas pelos objetivos propostos.
 
Com este texto desejamos detalhar um pouco da nossa vivencia como religiosas, pois ouvindo o convite de Jesus: “Eu vim para que todos tenham vida, e vida em abundância”, buscamos favorecer condições que tornem digna a vida de crianças e adolescentes que só precisam de pessoas que acreditem e incentivem seus esforços. Os lares buscam oferecer esse espaço onde as crianças e adolescentes sentem que são amados cuidados e protegidos para que amanhã também possam amar, cuidar e proteger!  

(Adaptação texto Irmã Aparecida dos Santos-FIC).