Sexta-feira |

Setor da Educação

Nosso Carisma

 

"Fiéis à herança da Madre Francisca Lampel, queremos viver no meio do povo procurando, contudo, sempre a constante união com Deus”.

 

A origem de todo nosso trabalho educativo é, sem dúvida alguma, definida pelo nosso Carisma Fundacional, pois é a primeira pedra do edifício nascido do sonho e da dedicação de Madre Francisca Lampel e suas companheiras.Nele se situam os princípios, valores e os objetivos que definem a prática pedagógica das Escolas das Irmãs Franciscanas da Imaculada Conceição, através da Pedagogia da Esperança por uma Cultura de Paz, difundida por Madre Francisca.

  A Pedagogia da Esperança é ativa, transformadora e, para nós FIC, tem como horizonte iluminador o Evangelho, devendo estar sempre aberta ao diálogo crítico, às conquistas, aos avanços da ciência, aos sinais dos tempos e aos diversos paradigmas existentes.

 

Madre Francisca Lampel e a Educação

        “... Olhando para o futuro e para o passado empenhem-se em nossas escolas a tarefa de oferecer às nossas crianças e aos nossos jovens instrumentos de conhecimentos e uma formação sólida, cristã para que possam, como cristãos, andar pelo caminho da vida e gravar em suas vidas os valores evangélicos.”

        Madre Francisca nos apresenta importantes princípios que deverão nortear nossa ação e prática educativa:

  • Ser tudo para as crianças;
  • Começar o trabalho com alegria e prudência;
  • Unir o intelecto à nobreza de coração;
  • Cumprir os deveres de educadores;
  • Descobrir os talentos dentro de cada criança e jovem;
  • Dar orientação de vida;
  • Impregnar o Amor a Deus;
  • Deixar-se usar como instrumento de DEUS;
  • Fortalecer-se no BEM;
  • Ser agradecida (o) e vigilante.

             Centrada numa atitude de grande abertura e sensibilidade aos sinais dos tempos, Madre Francisca nos orienta de forma renovadora e motivadora quando afirma: “Não queremos só o simples ensinar, mas ao mesmo tempo devemos nos preocupar com a verdadeira formação e educação”.

Portanto, para ela, ENSINAR e EDUCAR são linhas mestras de todo o trabalho educativo e que hoje nos é deixado como herança e ao mesmo tempo como desafio.

 “Colocai somente o germe do amor de Deus, profundamente, nos corações das crianças...”

 Para Madre Francisca educar é despertar, interiormente, na criança e no jovem o agir criativo de Deus e toda sua Ternura: “Colocai somente o germe do amor de Deus, profundamente, nos corações das crianças.”

              Essa é a inspiração originária do trabalho pedagógico e da ação docente das Escolas das Irmãs Franciscanas da Imaculada Conceição.

                Na atual conjuntura, nossos alunos têm disponível todo tipo de informação. Nós educadores devemos, cada vez mais, com muita seriedade, competência e clareza mostrar-lhes os caminhos corretos e estimulá-los a se interessar pela “pesquisa e pelo saber”. Para isso, é importante a busca da atualização constante de certos paradigmas e o desenvolvimento de muitas habilidades e competências por parte do (a) educador (a).

  Nossos alunos estão sempre se confrontando com o que há de mais novo em tecnologia e sabem que irão enfrentar, futuramente, um mercado competitivo. É de se esperar que, neste contexto, o (a) educador (a) seja uma “presença” otimista, cheia de energia positiva, de realização pessoal e profissional (que tenha satisfação naquilo que faz), que seja competente, que esteja envolvido com o seu trabalho (com o coração), que seja um (a) educador (a) apaixonado (a), que cultive a mística e a missão de sua profissão.

                Mais do que nunca é necessário acreditarmos e investirmos na Pedagogia da Esperança por uma Cultura de Paz. Dizia Madre Francisca: “Todo (a) educador (a) é um profissional da esperança”. Somos, portanto, profissionais da esperança neste mundo desesperançado.

              Como profissionais da esperança, precisamos viabilizar o Amor; precisamos construir práticas igualitárias em meio às diversidades; precisamos profetizar contra todas as formas de exclusão pessoal e social; precisamos nos indignar com a realidade de uma sociedade que privilegia o “ter” e exclui “o ser”.

            A construção da Pedagogia da Esperança por uma Cultura de Paz nasce no “coração que busca a Justiça, a Paz e o Bem”. Se nossa prática pedagógica estiver desvinculada de uma prática humano-cristã, acolhedora de todos os dons, somos profissionais altamente incoerentes e de nada adiantam nossos “ensinamentos”... Porque educação supõe uma postura ética e uma atitude de AMOR-DOAÇÂO.

          O educador que vive em profundidade sua missão e sua mística perpetuam-se. A semente que lançou, que fez germinar, frutificará nas gerações futuras em justiça, paz, esperança, liberdade e comprometimento com VIDA.

Desafios da Educação FIC no século XXI:

  • Necessidade de sempre buscar a identidade franciscana em nossas ações pedagógicas;
  • Voltar às fontes, às nossas origens através da singularidade histórica de Jesus, de São Francisco de Assis e de Madre Francisca;        
  • Testemunhar a força do nosso Carisma, na fidelidade ao Evangelho e na coerência do nosso trabalho educacional.
  • E diante das dificuldades que enfrentamos, vivendo numa sociedade em grave crise "ético-moral", marcada pela dormência da consciência, da ética e da moral, não compactuar com um sistema social onde o que prevalece é o jogo de vantagens e interesses.

  (Irmã Idê Maria da Cunha – FIC)