Sexta-feira |

São Francisco de Assis

A você que tem o coração franciscano ou que deseja conhecer um pouquinho de Francisco de Assis, é que escrevo.
Paz e Bem!

Francisco nasceu em Assis, por volta de 1181 e recebeu o nome de João no Batismo. Mas o pai, um rico comerciante, ao regressar da França, mudou-lhe o nome para Francisco. Francisco herdou do pai, Pedro de Bernadone, a astucia para os negócios no comercio, mas a sensibilidade e o senso de justiça são espelhados em Dona Pica de Bernadone, mãe de Francisco. 

O jovem Francisco aspirava por um grande sonho, o de  ser arauto do rei e, como nada vem de graça, sem trabalho e esforço, Francisco precisou lutar para conseguir realizar seu sonho. E lutou literalmente quando em 1202  parte para guerra entre Perugia e Assis, de onde saiu prisioneiro e foi conduzido para o cativeiro. 

Desde aí, um novo episódio se dá na vida de Francisco, que resgatado pelo pai, Pedro de Bernadone, volta a Assis, e aos poucos se abre a graça de Deus que fala ao seu coração. “Vai Francisco e reconstrói a minha Igreja que está em ruínas”. A partir de um profundo encontro com o Pai do céu, Francisco torna-se arauto  de um grande rei sim, mas não rei da terra, não de um rei que é servo, mas do Rei dos reis, que é o Senhor crucificado, Senhor dos pobres. A partir daí a vida de Francisco toma outro rumo, outro sentido. Francisco abandona sua casa, sua heranças, o conforto e aconchego de sua casa, a admiração e grande amor de seus pais, para viver só para o Senhor, sem nada de próprio, vivendo em igrejas abandonadas e pedindo esmolas.  Quem nunca ouviu falar de Bernardo, Rufino, Leão, Egídio, Junípero, Pedro, Elias e Masseo? Esses são os primeiros companheiros de Francisco. Quem nunca ouviu falar em leprosos que nunca sentiram- se tão amados a ponto de receber um beijo de Francisco? Ou mesmo de um lobo feroz, que fora amansado e viveu entre os habitantes de Gúbio? Sem falar das capelinhas que foram restauradas por Francisco, especialmente São Damião e o convento de Santa Maria da Porciúncula. Pois é, aqui muito breve e resumidamente se encontra a vida de Francisco de Assis, um jovem que com grande amor ao Evangelho não desejou mais nada a não ser afastar-se do mundo, das honras passageiras para ganhar o céu. Francisco de Assis, com certeza ganhou sim o céu e muitos filhos na terra.

E nós, filhas de Francisco, pedimos cada dia a Deus que nos faça merecedores de tão grande exemplo, que possamos ser, como Francisco, um reflexo de Jesus Cristo crucificado, que nos doou sua vida por amor, por cada um de nós!

(Irmã Daiane Karina Bueno- FIC).