Terça-feira |

Fundação Áustria

Madre Francisca Lampel, fundadora da  congregação das Irmãs Franciscanas da Imaculada Conceição. 

Antônia Maria Lampel, nascida em 28 de agosto de 1807, em Fürstenfeld, Aústria, trabalhou como professora, desde 1830 em Graz, “na escola particular para educação feminina”, pertencente  a Anna Engel. Em 1835 após o falecimento de Anna Engel, Amália Lampel, irmã de Antônia Maria, assumiu a direção da escola. Amália logo pensou em formar com suas professoras uma comunidade religiosa, para educação da juventude feminina. Então encontrou em Dom romano Sebastião Zangeler , bispo-príncipe da diocese de Seckau, a qual pertencia a cidade de Graz, forte apoio a seus planos. No entanto logo depois Amália foi acometida de grave enfermidade que  a levou a óbito.

Quando Antônia Lampel, em 1841 assumiu  a direção da escola, foi recebida com satisfação pelas autoridades civis e politicas, ganhou a confiança dos pais e o respeito e bem querer da juventude. 

Antônia deu, logo, os primeiros passos: Em 27 de setembro de 1841 escreveu, em seu nome e no nome de suas companheiras, uma carta (magna Carta) ao Bispo Príncipe Dom Romano Sebastião Zängeler, manifestando seu desejo de fundar um instituto religioso, destinado ao ensino e à educação da juventude feminina, sobre tudo das classes mais pobres.
Antônia ajudada por bem feitores adquiriu em julho de 1843 um prédio onde funcionara desde 1820  a escola particular e que agora devia tornar-se o berço da nova fundação. Sem dúvida essa casa não se prestava tão bem para ser convento com internato, era pequena demais.

Em 15 de julho de 1843, Roma aprovou a nova congregação como irmãs das escolas da terceira ordem de são Francisco em Graz, estando sob a jurisdição do bispo diocesano e professando votos simples por  três anos. O reconhecimento público da nova congregação deu-se em 29 de setembro de 1843. Antônia Maria Lampel tinha então 36 anos e recebeu o nome de irmã Francisca. A partir de então Irmã Francisca tornou-se madre (mãe)  para cada uma de suas irmãs e é também para nós. Em 1954 as irmãs das escolas passaram a ser conhecidas como Irmãs Franciscanas da imaculada conceição.

Somos agradecidas a Deus por temos a nossa frente esse grande modelo que deixou-nos com herança um tesouro: O nosso Carisma: “Viver no meio do povo em constante união com Deus”.

Queremos vive-lo com simplicidade, alegria, com o coração aberto e acolhedor seguindo o chamado de Deus e o pedido da Igreja. 

(Irmã Marina Sátiro-FIC)